Aviso: a Google está ouvindo toda sua conversa em casa. Veja como impedir isso

Com o advento de novas e melhores técnicas para manipular o Big Data, a questão da privacidade online nunca foi tão discutida quanto atualmente. A privacidade sempre foi minha preocupação número 1 na internet, desde que comecei a usar computadores há 20 anos atrás. Principalmente agora, que trabalho com informações sigilosas de outras pessoas, a privacidade delas também passou a ser uma prioridade para mim. Por isso, me preocupo bastante em proteger ao máximo tanto meus dados quanto de meus clientes.

Recentemente, o jornal inglês Independent publicou uma matéria na qual mostra que a Google consegue gravar toda conversa que você fala no seu celular ou computador. Basta ter aplicativos da empresa instalados (ou seja, praticamente qualquer dispositivo). E eles já vêm gravando o que seus usuário conversam há anos.

banner-fiverr

Isso ocorre pois, ao se cadastrar em algum produto Google, você assina um termo de privacidade (que ninguém lê). E esse termo permite com que a empresa possa usar as gravações para melhorar a funcionalidade dos produtos.

A gravidade aí é que a empresa pode basicamente usar essa informação para qualquer coisa. Não só a empresa, mas diversos funcionários também possuem acesso a essas gravações.

Você acha que é uma preocupação exagerada? Eu discordo. E, aparentemente, o Mark Zuckerberg também. Olha só as artimanhas que ele usa no computador dele. Malandro é malandro, né??

mark-zuckerberg-bloqueia-webcam-microfone-computador-privacidade-facebook

As gravações podem funcionar como um diário da sua vida. Tudo o que você faz está lá, além das suas informações mais sigilosas e confidenciais. Hoje você pode até achar que é uma aporrinhação desnecessária. Mas só sentimos a dor quando acontece o pior. Eu prefiro me prevenir

E como você pode impedir essa invasão de privacidade?

Felizmente a empresa não age de má fé e permite com que as pessoas possam deletar os áudios. Ainda que um pouco escondido do público, existe uma página específica dentro da sua conta Google que permite com que você veja todo seu histórico na internet e dados que você nem imaginava que existiam!

Nessa página, você pode ouvir todas as gravações, como elas foram gravadas (se foi em um Google app ou outro lugar) e, até, uma transcrição em texto do que foi dito.

Mas, pelo menos para mim, a principal razão de acessar essa página é para deletar todo meu histórico e arquivos particulares.

E quais outras coisas que a Google pode fazer com essa quantidade assustadora de dados? As possibilidades são infinitas. Eu não acredito que hoje você esteja correndo algum perigo, mas no futuro isso ainda é bastante incerto. Portanto, o seguro morreu de velho.

A forma mais fácil de impedir com que a Google te grave é desligando o assistente virtual do seu celular, nunca usando a pesquisa por voz e evitando deixar apps abertos no background, tanto no celular, quanto no computador. Sei que é chato não poder usar essas ferramentas que facilitam sua vida, mas a decisão fica por sua conta.

E você, o que acha disso? Deixe sua opinião abaixo e nos diga se você encontrou alguma informação preocupante na sua página de histórico.

 

►► Gostou do artigo? Te convido a se inscrever meu newsletter, onde você receberá toda sexta-feira um resumo de tudo que aconteceu de relevante na semana sobre empreendedorismo, marketing, carreira e gestão ◄◄

Artigos Sugeridos



  • Rosana Faber

    Daniel, sei que postou há muitos meses atrás, mas só vi agora… excelente e oportuno artigo. Não sei se à época já era possível “pausar” esses registros de atividade. Fiz isso (no botão “Controles de Atividade”) e vou testar se funciona, ou seja, se esses registros são interrompidos. Além de ter excluído tudo, naturalmente. Muito obrigada!!

  • André K

    Excelente! Fui lá e excluí tudo, valeu! Dito e feito isso, vamos manter nossas contas Google? Concordo que é extremamente importante preservarmos nossa privacidade evitando exposições desnecessárias, por outro lado é complicado evitar isso em 100% dos casos… é difícil abrir mão dos serviços do Google (ou da Microsoft, ou da Apple…).